Make your own free website on Tripod.com

GOADS

 

 

Alimentação

Alimentação

A galinha é omnívora, ou seja, consome alimentos tanto de origem vegetal quanto animal.

Basicamente, na natureza e aquelas galinhas que têm a sorte de poderem ciscar livremente, alimentam-se de sementes, insetos, frutas e  vegetação. No entanto, as galinhas comem qualquer coisa que julguem ser comestível. Já vi galinhas engolirem camundongos vivos e pequenos pássaros caídos do ninho.

O paladar e o olfato não são muito desenvolvidos nas galinhas o que justifica o seu baixo nível de seletividade na alimentação. Isso não significa que elas não tenham preferências, pois, enquanto folhas de bananeiras são comidas avidamente, capins amargos não serão ingeridos se houver opção.

Tanto na criação caseira quanto comercial, as rações especializadas são uma excelente opção, pois nelas concentram-se todos os elementos necessários à boa nutrição das aves, nas quantidades ótimas. É bem verdade que os elementos que se destinam à fabricação de rações animais são os restos da indústria alimentícia para humanos e toda a sorte de refugos inservíveis. E isso não é apenas para a ração de galinhas, mas igualmente para cães e gatos.

Se o leitor procurar na internet vai encontrar denúncias como a de que as indústrias de ração animal estariam utilizando animais sacrificados e lixo de hospitais veterinários para a fabricação de ração. Este site, entretanto, não dispõe de elementos para concordar ou discordar dessas afirmações. Contudo, verdade é que: penas, sangue, vísceras e fezes de porco desidratadas compõem a receita de muitas rações vendidas ai no mercado em lindas e atraentes embalagens.

Não obstante, sem as rações comerciais para galinhas, não seria possível criar aves de corte em galpões sem a luz do sol, pois aves nessas condições precisam que se adicione à ração a vitamina D3, por que se não,  os pintinhos ficam com os ossos moles, padecendo de um mal conhecido como pintinhos de borracha.

Assim, se você é um naturalista e não quer dar ração para suas aves, tenha certeza de estar fornecendo todos os elementos necessários ao seu sadio desenvolvimento.

Porquanto as rações são ditas balanceadas, nenhum outro tipo de alimento deveria ser adicionado, para evitar-se o desbalanceamento da alimentação. Isso é bem verdade para as criações comerciais que trabalham com aves em lotes homogêneos quanto a sexo, idade e linhagem. Contudo, para sua criação caseira pode ser até aconselhável dar uma misturada.

Particularmente, em nossa criação fornecemos ração poedeira como elemento básico, intercalando, no mês,  uma  semana com ração inicial para pintinhos.  Permitimos às galinhas ciscarem livremente no terreiro e fornecemos, eventualmente,  farinha de rosca grossa, milho quebrado, cascas de batatas. Não fornecemos alimentos fritos ou cozidos, mas você pode fazê-lo, desde que escaldados para que se retire a gordura antes de serem servidos às galinhas. Especialmente o arroz, cozido ou cru, não pode ser a base da alimentação das galinhas por ser um alimento muito pobre, prefira o milho ou a soja. No caso da soja, ela deve ser torrada e moída porque a soja crua não serve de alimento para as aves domésticas.

Eventualmente, também colocamos à disposição das galinhas farinha de cascas de ovos, como fonte suplementar de cálcio. Nunca dê ovos quebrados ou cascas quase inteiras de ovos para as galinhas para que elas não aprendam a comer ovos. Galinhas que aprendem a procurar ovos no ninho como alimento dificilmente perdem o vício e acabam transmitindo o hábito para outras galinhas do grupo. Isso costuma provocar grandes prejuízos. Outras fontes de cálcio, mais indicadas são o calcário, a farinha de cascas de ostras ou suplementos comerciais de cálcio vendidos em lojas especializadas.

A água deve estar sempre disponível para as aves. Deve se prover água limpa, fresca e abundante, tomando-se o cuidado de não deixar os recipientes expostos ao sol direto ou à chuva, fatores que podem alterá-la negativamente. 

Em criações comerciais de aves de corte, às  vezes é necessário controlar a quantidade de água ingerida pelas aves para evitar-se que as fezes se tornem excessivamente líquidas, mas isso exige um controle  e monitoramento que não são possíveis numa criação doméstica.

Um bom plano de alimentação de um lote misto de aves é alimentá-las exclusivamente com ração inicial desde o primeiro dia até o fim da terceira semana de vida e então passar para uma ração de crescimento. Se você criar galinhas poedeiras, utilize ração poedeira a partir do primeiro ovo ou quando as galinhas atingirem 5 meses de idade. Se você cria um lote misto de machos e fêmeas pode utilizar o sistema descrito acima de intercalar uma semana no mês, ração inicial para pintos, fornecendo ração poedeira como base da dieta.

A partir da terceira semana, você também pode adicionar um comedouro com areia. A areia é ingerida pelas galinhas e utilizada pela moela que é um órgão interno de mastigação do bolo alimentar. Se você pretende dar verduras ou outras folhas para suas galinhas, inicie o suplemento de areia uma semana antes de começar a servir as folhas ou verduras.